SmartPK

A linha SmartPK traz medidores eletrônicos do tipo fixo: lombadas eletrônicas e radares (discretos ou mistos). Com ou sem ostensividade, calculam a velocidade com precisão e detectam diversas infrações não metrológicas, através de sensores (laços indutivos ou sensores não intrusivos – Doppler ou Laser). Fazem a captura de múltiplas imagens, vídeos e permitem o monitoramento com a customização de parâmetros. As infrações não metrológicas são registradas com câmeras de visão ampla. Como todos os produtos da Perkons, os dados são criptografados e assinados digitalmente.

São ideais para o monitoramento e registro automático de infrações em rodovias, trechos expressos, vias arteriais, coletoras e locais. Pontos críticos, como curvas perigosas ou locais com pouca visibilidade, e onde haja grande fluxo de veículos e pedestres. Monitoram múltiplas faixas e podem ser instalados em diferentes configurações: com ou sem display, em postes ou outras estruturas pré-existentes, garantindo flexibilidade de instalação.



Podem ser instalados em postes, estruturas comerciais pré-existentes ou viadutos, por exemplo.

 


REGISTRAM AS SEGUINTES SITUAÇÕES DE VEÍCULOS

• Em excesso de velocidade
• Avançando o sinal vermelho
• Parados sobre a faixa de travessia de pedestres
• Executando conversão ou retornos em locais proibidos pela sinalização
• Transitando no acostamento e na contramão
• Ultrapassagem em local proibido
• Transitando em locais e horários não permitidos ou em pistas de circulação exclusiva

 


Características:

• Câmeras de alta resolução para capturar imagens nítidas.
• Registro de infrações e dados estatísticos, 24h por dia, podendo operar em horários diferenciados para cada funcionalidade.
• Ativa e/ou desativa o registro de todas as infrações ou de apenas algumas delas, em horários e locais determinados. Estas alterações podem ser realizadas remotamente ou no local, sempre de acordo com a legislação em vigor.
• Monitora qualquer tipo de veículo automotor, inclusive motos. E classifica os veículos de acordo com o seu tipo e/ou tamanho.
• Possui alto índice de aproveitamento das imagens capturadas.

Seu funcionamento é automático e independe da presença de agentes de fiscalização de trânsito. Quando o veículo passa pela área de atuação dos sensores (laço indutivos ou sensores não intrusivos - doppler ou laser),ele registra a ocorrência (imagem do veículo e/ou cenário), que pode ser usada mais tarde como prova da infração. O display e os sinais sonoros e luminosos são opcionais e podem ser ajustados de acordo com a solicitação do cliente.

Os dados estatísticos como velocidade, direção, horário e categoria do veículo são registrados. Sempre que uma infração é cometida a imagem é automaticamente capturada por um sistema de vídeo digital e recebe, no momento de seu registro, uma tarja onde constam as informações necessárias para identificação o veículo infrator, atendendo à legislação em vigor.

As informações são gravadas em um dispositivo de armazenamento e transmitidas para a central de processamento. O modo de transmissão é definido de acordo com a infraestrutura de telecomunicação disponível no local de instalação do equipamento.

Na central de processamento, a placa e as características do veículo são comparadas com o cadastro fornecido pelo órgão executivo de trânsito. Após a comprovação dos dados, a autoridade de trânsito com circunscrição sobre a via (ou o agente por ela designado) deverá convalidar o registro eletrônico, lavrando posteriormente o Auto de Infração.



Todos os dados e imagens gerados pelos equipamentos são criptografados
no momento do registro, seguindo as normas nacionais e internacionais, e possuem
assinatura digital que garante total inviolabilidade e a segurança do processo.

 

Conheças as Portarias do INMETRO relativas a este produto: 1086/2013; 283/2013; 014/2014; 033/2014; 072/2014; 164/2014.


Instalação:

Cada local de instalação dos equipamentos é definido pelo cliente, que considera as características próprias de volume de tráfego, número de acidentes, velocidade média e condições especiais de perigo como trânsito intenso de pedestres, curvas fechadas, pontes, ladeiras acentuadas etc. A partir desses dados, o cliente determina também a velocidade a ser regulamentada no trecho dependendo do objetivo específico a ser atingido.

A Perkons envia seus engenheiros aos locais e, com uma metodologia especialmente desenvolvida, analisa os dados fornecidos pelo cliente, assim como as demais variáveis da região, como a posição de pontos de ônibus e/ou táxi, facilidades de fornecimento de energia elétrica, presença de fluxo de pedestres, condições do pavimento, existência de guias rebaixadas, proximidade de cruzamentos, necessidade de poda de galhos de árvores e outras condições especiais eventualmente encontradas.

Com essa análise é determinado o ponto adequado de instalação, o tipo e modelo do equipamento, a sinalização horizontal e vertical a ser instalada e, então, é desenvolvido um projeto completo de implantação para a execução das obras, seguindo toda a legislação vigente e o que for tecnicamente recomendável.

Para saber mais sobre estudos técnicos para instalação de equipamentos, conheça a Resolução do CONTRAN nº 396/11.

O cliente pode escolher diferentes tipos de sensores (laços indutivos ou sensores não intrusivos – Doppler ou Laser) e configurações de instalação: com ou sem display, em postes, pórticos e semipórticos ou outras estruturas pré-existentes, viadutos etc. garantindo flexibilidade de instalação.


Perfil Magnético

O sensor (exclusivamente laço indutivo) detecta a presença do veículo e registra uma variação da massa magnética, gerando dois perfis. Da correlação entre eles obtém-se o tempo para calcular com precisão a velocidade. A análise do perfil magnético possibilita também obter a informação sobre o tipo de veículo que transita pela via. Além disso, os dados armazenados podem ser utilizados posteriormente para confirmação adicional da velocidade.

 





Os perfis magnéticos, juntamente com a identificação do veículo e dados da ocorrência,
compõem uma imagem única, criptografada, como prova autêntica da infração.


OCR - Sistema de reconhecimento automático de placas

O sensor (laço indutivo ou dispositivo não intrusivo - Doppler ou Laser) detecta a presença do veículo parado ou em movimento, mesmo em altas velocidades, e captura sua imagem. O OCR (Optical Character Recognition) integrado ao equipamento localiza a placa e identifica o conjunto alfanumérico. Os dados coletados são processados e checados automaticamente com o cadastro do órgão. A imagem do veículo em situação irregular é registrada e o tipo de irregularidade detectada é destacado. Assim, é possível identificar com rapidez e precisão os veículos com placas clonadas, veículos procurados pela polícia e condutores inadimplentes com taxas e impostos, dentre outras irregularidades.

Protocolo de comunicação NTCIP

As etapas de transmissão das informações geradas pelos equipamentos são realizadas com segurança através de protocolo NTCIP (National Transportation Communications for ITS Protocol) ou proprietário. O objetivo é padronizar a transmissão para que esta seja uniforme, transparente e proporcione uma visão única do sistema.

Telessupervisão (ou telemetria)

O monitoramento do status de operação dos equipamentos instalados em campo é realizado através da telessupervisão que garante o funcionamento correto dos módulos. Assim, é possível verificar a necessidade de manutenção e agir com rapidez.

Câmera ampla

Para análise da infração, o equipamento dispõe de um conjunto de câmera ampla (traseira e/ou dianteira) que permite a completa e perfeita visão da ocorrência. Este conjunto pode capturar imagens e vídeos coloridos da infração para comprovar se esta de fato ocorreu. Os vídeos e imagens registrados demonstram a situação do local como um todo, incluindo a visão do veículo, do grupo focal, da faixa de travessia e do cruzamento.


• Indicados por especialistas, pois aumenta a segurança de condutores e pedestres, reduzindo o número e a gravidade dos acidentes, e contribui para a diminuição dos custos sociais que envolvem as ocorrências, tais como reparos na pista, hospitalização de vítimas etc. Segundo os engenheiros Allan Cannell e Philip Gold (Reduzindo Acidentes, 2001) há uma redução de 60% no número de fatalidades e 30% de acidentes.

• Garante ao órgão executivo de trânsito ou rodoviário total segurança no registro de imagens e dados no momento da ocorrência da infração, pois possui sistema de criptografia e assinatura digital que garantem a sua confiabilidade e total integridade.

• Gera dados, 24h por dia, que contribuem para o controle e planejamento viário que permitem emitir relatórios e estimativas detalhadas dos veículos que trafegam pelos trechos monitorados; identificar mudanças de perfil em épocas distintas; estimar o tempo de deterioração do pavimento, a velocidade média e o fluxo de veículos; entre outras.

• Oferece maior agilidade dos serviços de coleta de informações, pois a transferência de dados e imagens dos equipamentos pode ser feita por descarga remota, diretamente à central de processamento.

• O uso das imagens capturadas pelo equipamento pode auxiliar no julgamento de recursos contra a autuação. As ocorrências são documentadas com uma sequência de imagens, para que o operador tenha condições de analisar com clareza as possíveis infrações cometidas, visualizando: ocorrências de acidentes no cruzamento, riscos de assaltos, passagem de veículos de socorro etc.

• As notificações podem ser emitidas com as imagens captadas pelas câmeras de visão Ampla e Estreita, para efetiva comprovação da ocorrência.

• Demonstra a transparência e modernidade do órgão fiscalizador, uma vez que o processamento é realizado por um software exclusivo, que possibilita convalidar a imagem digital, gerando o Auto de Infração.

• Possibilita direcionar as atividades policiais para outras ações de fiscalização, orientação e educação, de acordo com a necessidade da comunidade local.

Compartilhe: